Conservação de aves no Alentejo ganha 18 hectares

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Conservação de aves no Alentejo ganha 18 hectares

Mensagem  Haddock em Dom 8 Jul 2012 - 10:17




As abetardas, sisões e peneireiros-das-torres, aves que dependem das estepes cerealíferas do Alentejo, ganharam recentemente 18 hectares de zonas de refúgio, através da compra de terrenos pela Liga para a Protecção da Natureza (LPN) em Castro Verde.

Os terrenos agrícolas foram adquiridos em Maio com 75% de financiamentos comunitários e 25% divididos entre fundos da própria LPN e de donativos de empresas.

“Estes 18 hectares são zonas nucleares para a conservação destas aves, que precisam de áreas muito extensas, e têm condições de excelência. São territórios onde as abetardas fazem paradas nupciais e onde nidificam, por exemplo”, disse nesta sexta-feira ao PÚBLICO Rita Alcazar, responsável da LPN pelo projecto LIFE Estepárias (2009-2012).

Os novos terrenos juntam-se agora a outros 150 hectares que a associação ambientalista – a mais antiga do país, criada em 1948 – havia adquirido em Fevereiro de 2011.

Naqueles 168 hectares existem cerca de 50 abetardas (Otis tarda), a maior e mais pesada das aves da fauna portuguesa, e outras aves como o sisão (Tetrax tetrax), o peneireiro-das-torres (Falco naumanni) e a perdiz-comum (Alectoris rufa).

“Vamos manter parte da gestão agrícola, semeando searas todos os anos em algumas zonas e mantendo outras em pousio. Mas iremos fazer melhoramentos do habitat para estas aves, como a construção de uma torre de nidificação, a remoção de vedações, a acessibilidade a pontos de água e a proibição da caça”, explicou a responsável.

“Nestes terrenos, a gestão agrícola assegura abrigo e alimento sem perturbação para estas espécies, que nidificam no solo e que dependem de extensas áreas planas e desarborizadas para se alimentar e caçar”, segundo uma nota da associação ambientalista.

Os 168 hectares fazem parte de uma área maior, com 85.000 hectares, ou seja, a Zona de Protecção Especial (ZPE) de Castro Verde. De acordo com a LPN, nesta ZPE, o número de abetardas passou das 400 em 1997 para as cerca de 1300 abetardas no final desta Primavera; destas, 50 ocorrem nas propriedades adquiridas desde Fevereiro de 2011.

Quando o Programa LIFE Estepárias terminar, no final de 2012, a conservação destas aves vai sofrer alterações. “A nossa presença no terreno terá de ser reduzida e teremos de deixar de fazer algumas acções, como a vigilância das colónias de peneireiros, para resgatar os juvenis feridos que caem dos ninhos, a sensibilização junto dos caçadores, ou a intervenção para diminuir os impactos negativos das centenas de quilómetros de vedações”, disse Rita Alcazar.


Fonte: http://ecosfera.publico.pt
avatar
Haddock

Mensagens : 88
Data de inscrição : 22/03/2012
Idade : 34
Localização : Montijo

Ver perfil do usuário http://ruadamisericordia.blogspot.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum