Mariana Pinho ganha bolsa de 1,6 milhões de euros

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mariana Pinho ganha bolsa de 1,6 milhões de euros

Mensagem  Mandrágora em Ter 11 Set 2012 - 17:17




Mariana Pinho ganha bolsa de 1,6 milhões de euros

Cientista vai estudar bactérias resistentes a antibióticos

Mariana Gomes de Pinho é uma das vencedoras deste ano do concurso do Conselho Europeu de Investigação (ERC-European Research Council) para Starting Grants, cujos resultados oficiais foram anunciados ontem, avança a AlphaGalileo.

Com uma bolsa no valor de 1,6 milhões de euros atribuída para os próximos cinco anos, a investigadora do Instituto de Tecnologia Química e Biológica quer perceber melhor a organização interna da bactéria patogénica resistente a antibióticos, Staphylococcus aureus.
Portugal é um dos países da Europa com percentagens mais elevadas de estirpes de Staphylococcus aureus resistentes aos antibióticos, um tema a que se dedicam vários laboratórios do ITQB. A coordenar o laboratório de Biologia Celular Bacteriana desde 2006, Mariana Gomes de Pinho está particularmente interessada na parede bacteriana, uma estrutura essencial para a sobrevivência da bactéria e o principal alvo de antibióticos como a penicilina. Além da parede, a superfície das bactérias tem vários outros componentes conhecidos mas o modo como estes componentes são fabricados na ordem e local correctos é ainda um mistério.

“Podemos pensar na síntese da superfície bacteriana como uma linha de montagem numa fábrica de automóveis”, explica a investigadora. “Se estudássemos cada máquina da linha de montagem de um modo independente, descobríamos a sua função. Mas isso não seria suficiente para perceber como a fábrica funcionava no seu todo. Para conseguirmos montar uma fábrica semelhante noutro local, teríamos que ter a planta da fábrica, saber onde colocar cada máquina, de modo a que tudo funcionasse. O que queremos fazer neste projecto é perceber em que local da bactéria é que cada processo acontece e como é que as ‘máquinas’ necessárias para sintetizar cada componente da superfície bacteriana são postas no local certo e na altura correcta”.

Para atingir este objectivo, a cientista vai construir estirpes de Staphylococcus aureus em que os componentes destas máquinas estão marcados com proteínas fluorescentes e por isso podem ser seguidos ao microscópio. Estas estirpes poderão também ser muito úteis para a determinação do modo de acção de novos antibióticos.

Fonte: CiênciaHoje
avatar
Mandrágora

Mensagens : 327
Data de inscrição : 20/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum