Embalagens usadas ganham nova vida nas paredes de uma escola em Oeiras

Ir em baixo

Embalagens usadas ganham nova vida nas paredes de uma escola em Oeiras

Mensagem  Admin em Sex 9 Nov 2012 - 11:55



Não absorvem humidade e por isso não retêm fungos. Não soltam farpas e são fáceis e práticas de limpar. As fachadas da renovada Escola Básica e Jardim de Infância Gomes Freire de Andrade, em Oeiras, foram revestidas com um material de plástico 100% reciclado, feito de embalagens usadas.

O projecto representa um investimento de seis milhões de euros em obras de ampliação e qualificação na escola, dos quais 4,5 milhões são investimento municipal, sendo o restante montante suportado pelo Quadro Referência Estratégico Nacional.

A conclusão desta obra, inaugurada a 20 de Outubro, assinala o fim da primeira fase do Plano Estratégico para os Equipamentos Educativos que inclui também a construção de três escolas, além da ampliação e requalificação das existentes. O projecto de revestimento da fachada com plástico 100% reciclado foi concretizado pela empresa Extruplás, a única empresa nacional a produzir materiais para esta construção.

A vereadora com os pelouros de Obras Municipais e Ambiente da Câmara de Oeiras, Madalena Castro, explica que os materiais usados na construção - embalagens de manteiga, pacotes de batatas fritas, copos de iogurte, entre outros -, “ao invés de contaminarem o meio ambiente, voltaram a entrar na cadeia de valor”. As vantagens são muitas: além do "baixo custo de instalação e ausência de custos de manutenção", o edifício não voltará a precisar de pintura exterior na zona onde foi aplicado o revestimento, afirma.

Também a Sociedade Ponto Verde (SPV), que trabalha com a empresa envolvida, aponta a durabilidade como a maior vantagem de construção mobiliária a partir de plástico reciclado, sendo descrita como uma “alternativa completamente viável, segura e ambientalmente correcta”.

“Quando o plástico é separado a sua divisão é feita tendo em conta o tipo de plástico. Uma das categorias corresponde aos plásticos mistos e a Extruplás é a única empresa que a nível nacional recicla esta categoria. Para os plásticos mistos contribuem essencialmente embalagens de produtos alimentares, como embalagens de manteiga, margarina, pacotes de arroz e massas, pacotes de batatas fritas e copos de iogurte sólido”, explica a SPV.

A produção de artigos de mobiliário urbano e de praia, espreguiçadeiras, chapéus-de-sol, passadiços, vedações, sinaléticas, mesas ou bancos através de plástico 100% reciclado é uma solução para a diminuição não só do uso de madeira como matéria-prima, mas reduz também a quantidade de lixo nos aterros.

Neste projecto foram reutilizadas mais de 70 toneladas de plástico, transformadas em ripas com o aspecto e tonalidade da madeira, o que o torna esteticamente atraente. Segundo Sandra Castro, da empresa Extruplás, a empresa recicla cerca de 1000 toneladas de plásticos por mês.

O resultado é um produto que resiste à humidade, a parasitas e fungos e que pode ser trabalhado, serrado, pregado e aparafusado com alguma facilidade. O material tem ainda como vantagem a fácil limpeza.

“A par de vários projectos ao nível dos espaços verdes, nomeadamente a reutilização de troncos de árvores através da produção de estilha para aplicação em caminhos pedonais em áreas ajardinadas, a câmara vai também utilizar este género de material reciclado para a construção de uma escola na freguesia de Linda-a-Velha, cujo projecto já se encontra concluído, a aguardar que o concurso da obra seja lançado”, adianta a vereadora.

Fonte:Ecosfera

_________________
Portugal Natura
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 317
Data de inscrição : 19/03/2012
Idade : 38

Ver perfil do usuário http://portugalnatura.ativoforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum