Quercus pede protecção legal para carvalhais portugueses

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quercus pede protecção legal para carvalhais portugueses

Mensagem  Mandrágora em Sex 23 Nov 2012 - 13:53




Quercus pede protecção legal para carvalhais portugueses

O abate de carvalhos, uma espécie que abrange apenas quatro por cento da floresta portuguesa, é uma das preocupações que a Quercus salienta para marcar o Dia da Floresta Autóctone. A associação ambientalista pede uma legislação que promova a utilização sustentável da espécie.

"Os carvalhais requerem muita atenção não apenas porque são espécies com um certo grau de raridade mas também porque criam habitats dos quais dependem inúmeras espécies de fauna silvestre", justificou Hélder Spínola, presidente da direcção da Quercus, em declarações ao PUBLICO.PT.

Em comunicado divulgado hoje, a associação denuncia o investimento em projectos florestais que "substituem manchas de carvalhal por espécies menos nobres como o pinheiro ou eucalipto".

Contrariamente à situação do carvalho - para o qual não existe legislação para regulamentar o seu abate ou alteração do uso do solo onde se encontra -, o sobreiro e a azinheira são espécies que estão protegidas pelo Decreto Lei nº169/2001, de 25 de Maio, uma protecção que "advém do seu valor económico".

Hélder Spínola considera que esta legislação "é adequada" à manutenção dos montados de sobro e azinho, mas não deixa de salientar algumas "excepções à lei, ditadas pelo estatuto de utilidade pública", em nome de interesses imobiliários. "Sabemos que devem existir excepções à regra. O que pedimos é que estas sejam utilizadas apenas quando se justificam na sua plenitude. É uma questão de bom senso".

Para comemorar o Dia da Floresta Autóctone, a associação está em vários pontos do país - Lisboa, Amareleja, Ourém, Castelo Branco, Covilhã e Matosinhos - a fazer sensibilização junto de crianças para a conservação da floresta natural, através da plantação de árvores e de recolha de sementes.

A associação lança o desafio "a todos os portugueses para que dêem o seu contributo na preservação e expansão das nossas espécies indígenas. Bastará que cada um de nós recolha algumas sementes, faça-as germinar e plante num terreno das imediações para" fazer expandir a floresta.

A Quercus lembra ainda que a floresta é "uma mais-valia efectiva na conservação da natureza e da biodiversidade, na produção de oxigénio, na fixação de gases com efeito de estufa (dióxido de carbono), protecção do solo e manutenção do regime hídrico". Além disso, estas espécies são "mais resistentes ao fogo".

Outras espécies florestais autóctones são o medronheiro, zambujeiro, amieiro, freixo e salgueiro.

Fonte: Público

_________________
Portugal Natura
avatar
Mandrágora

Mensagens : 327
Data de inscrição : 20/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum